sábado, 4 de dezembro de 2010

Concurso para Auditor Fiscal da SEFAZ/PE

Uma boa notícia: a comissão do concurso para 63 vagas da Secretaria da Fazenda de Pernambuco (Sefaz-PE) já está formada. A junta, composta por membros da secretaria de Fazenda, da Secretaria de Planejamento e do Instituto de Recursos Humanos de Pernambuco (IRH), irá decidir sobre a contratação da organizadora assim que forem acertados os últimos detalhes a respeito do provimento das vagas. De acordo com o secretário executivo de Planejamento e Gestão da Sefaz, Erasmo Chaves Peixoto Neto, neste início de dezembro acontecerão reuniões com essa finalidade.


"Nós iremos decidir em quais setores da Secretaria de Fazenda cada um desses novos servidores irão atuar. Depois disso, restará apenas contratar a organizadora e lançar o edital. Esperamos que o documento saia no início de janeiro", informa o gestor. Das oportunidades, 60 serão destinadas ao cargo de auditor e três ao de julgador. Haverá, ainda, cadastro de reserva, para as vagas que surgirem durante a validade, ainda não anunciada.

Quem desejar concorrer a função de auditor deverá ter nível superior em qualquer área. Um dos grandes atrativos é o contracheque inicial, de R$ 6.836 mais gratificações. Inicialmente, esses servidores serão lotados no interior, em postos fiscais da Secretaria Executiva da Receita Estadual. Para esse grupo, a carga horária será cumprida por escala de 24 horas de trabalho por 72 de descanso.

O candidato a julgador precisará  ser graduado em Direito e não ter registro na Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Os vencimentos são de R$ 9.820, além de gratificações. Os novos julgadores serão lotados no Recife, com jornada de trabalho de seis horas diárias.

Além disso, outros grandes atrativos são a estabilidade, garantida pelo regime estatutário, e o plano de cargos e salários, que permite a ascensão do profissional. Após os três anos do estágio probatório, são feitas avaliações anuais, que possibilitam subir de patamar na carreira. São 16 níveis, e a cada um deles o salário aumenta de 3% a 5,5% dos vencimentos.

Seleção - Apesar de reconhecer a importância do estudo antecipado, Erasmo Peixoto diz que não há como indicar um programa de prova, tendo em vista que estão previstas mudanças na lei orgânica da carreira de auditor fiscal, o que implicará em alterações no conteúdo das provas. No entanto, sabe-se que o processo seletivo deverá ser composto por provas objetivas e treinamento, para os aprovados, sem haverá avaliação de títulos.

 Fonte: Folha Dirigida

Nenhum comentário:

Postar um comentário